Eredivisie. 6 (re)soluções para 2016

HolandaO oásis num deserto chamado Twente, um dos carrascos portugueses, um ‘Hulk style’, o farol francês comparado a Henry, o jogador-protótipo do Vitesse e o homem que desafia a omnipresença em Almelo. Todos com menos de 23 anos, todos com superior rendimento na 1ª volta da Liga Holandesa. As 6 pérolas escondidas da Eredivisie. Ou as (re)soluções para o novo ano.

1ª metade da Eredivisie cumprida, pausa de Inverno na competição, saída de 2015 e entrada em 2016. Que melhor momento para um pequeno balanço sob a forma de 6 nomes que têm já tanto de presente como poderão vir a ter de futuro? A Holanda respeita a cultura de um futebol ofensivo, com olhos postos na baliza adversária, quiçá, até, desmesuradamente atacante. Respeitemo-lo também. Mesmo havendo mais possibilidade de escolha, os 6 nomes que se seguem, enquadrando-se nesta filosofia, estão (quase) sempre mais perto da baliza adversária do que da sua.

Um triplo critério presidiu a esta escolha: notável rendimento na 1ª volta, idade máxima de 23 anos e não constar do plantel de nenhum dos Big-3 (PSV, Ajax e Feyenoord). Não há por isso Brenet, Hendrix, Gáston Pereiro (PSV), nem Veltman, Riedewald, Bazoer, Klaassen ou El-Ghazi (Ajax), tal como não surgem Kongolo, Vilhena ou Gustafson (Feyenoord). Aqui e agora, o palco mediático é de outros. Não de mais pequenos – porque metade da Eredivisie já se jogou e estes têm sido bem grandes. Tanto, que, para estes 6 nomes, 2016 tem tudo para ser (ainda mais) risonho.

HAKIM ZIYECH (Twente)

1
espnfc.com

O momento agónico que o Twente atravessa – 17º e antepenúltimo lugar na Eredivisie a que se junta uma profunda crise diretiva – só não é ainda mais profundo graças a um nome – Hakim Ziyech. Que extraordinária época que o capitão e n.º 10 do conjunto comandado por René Hake tem realizado a ponto de já ter sido associado ao Everton. Os números impressionam: 10 golos e 5 assistências para golo da sua autoria quando, no total, o Twente acumula… 18 golos marcados. Mas há mais do que isso: jogando preferencialmente na zona #10, num esquema de 4-2-3-1, destaca-se pela facilidade e potência de remate (fantástico o golo que marcou diante do Heerenveen, a sua ex-equipa), pela visão de jogo, pela qualidade de passe e pela forma sempre serena como se movimenta em campo. Tendo em conta a sua relação intima com a baliza, já foi testado como homem de área, (frente ao Feyenoord) mas isso apenas o retirou da zona onde pode fazer a diferença, assim como a partir de uma das alas (ainda que não seja especialmente rápido), procurando as incursões interiores. Aos 22 anos vive o melhor momento da carreira, ele que, apesar de ser internacional holandês nas camadas jovens (nasceu em Dronten, na Holanda), optou por representar Marrocos a nível sénior. Estatisticamente, acaba o total de 2015 como o jogador, na Eredivisie, com mais oportunidades criadas para golo (103); realisticamente é o motor e a alma de um Twente despedaçado.

Valor mercado*: 8M€

SAM LARSSON (Heerenveen)

acn.com.ve

Um dos carrascos da seleção portuguesa no último Europeu Sub-21. Apesar de não ter sido utilizado na final, Larsson fez parte do lote que a Suécia levou até à República Checa para conquistar a competição. Extremo esquerdo de origem, tal como faz dentro do campo, arrancou para um grande inicio de temporada na equipa que tem todos os corações estampados na camisola. Mais alto do que o standard dos extremos (1,80m), não é isso que o impede de se destacar pela explosão e pela forma ágil como se desenvencilha dos adversários, afirmando-se como um dos melhores dribladores da Eredivisie – acaba, aliás, 2015 como o jogador com mais dribles completados no total do ano civil (79). Posicionando-se do lado esquerdo, mas sendo destro, é comum vê-lo procurar movimentos interiores buscando a possibilidade de remate – tem um bom pontapé – ou mesmo surgindo pelo corredor central, entrelinhas, destacando-se ainda pela sua irreverência e, sem complexos, pela forma como encara o adversário. É hoje uma das figuras de proa do Heerenveen tendo chegado ao final da 1ª volta com 3 golos marcados e duas assistências. Aos 22 anos, não surpreenderá que, em breve, surja a oportunidade de dar o salto na sua progressão profissional. Irmão de Daniel Larsson (está hoje no Gaziantepspor), tem ainda todas as condições para lhe seguir as pisadas no que toca à chegada à seleção A.

Valor de mercado*: 3M€

OUSSAMA TANNANE (Heracles)

3
spor.mynet.com

Se Almelo e o seu Heracles vivem um sonho – o 4º lugar no final da 1ª volta não podem ser menos do que isso –, Tannane tem sido figura cintilante em campanha tão grandiosa. Mesmo o mês e meio em que esteve ausente devido a uma lesão no joelho em nada beliscam o contributo valiosíssimo que tem dado à equipa-revelação da Eredivisie – e que já levou a associações do seu nome aos maiores clubes turcos (Besiktas e Galatasaray estão atentos). É um autêntico bombardeiro este marroquino, que tem um estilo em tudo semelhante a Hulk. Colocando-se como extremo direito, mas sendo esquerdino, envereda usualmente por movimentos interiores em busca da melhor posição para aplicar o seu potentíssimo remate (já leva 4 golos de fora da área). É esta a sua trademark, a que alia uma invulgar capacidade de explosão, sendo sobretudo a ele que a equipa liderada por John Stegeman recorre quando busca o desequilíbrio individual. Não obstante a referida lesão, em apenas 11 jogos, Tannane chegou à marca dos 7 golos (melhor marcador da equipa), para além de se contabilizarem 3 assistências. Mas sobram ainda mais outros tantos detalhes de qualidade do marroquino de 21 anos que fazem dele um dos jogadores mais entusiasmantes de seguir semanalmente pelas canchas da Holanda.

Valor de mercado*: 1,25M€

SÉBASTIEN HALLER (Utrecht)

football-orange.com

O farol que vai iluminando e orientando o Utrecht. A última etapa de um processo sólido e assente em outros belos executantes (Ayoub, Ramselaar ou Barazite). Francês de origem, Haller é o típico ponta-de-lança imponente fisicamente, que decreta respeito só por lá estar. Mas os seus quase 2 metros de altura não o tornam menos veloz ou apto tecnicamente nem castram uma forma de jogar que vai muito para além da qualidade do jogo aéreo. Jogando quase sempre em dupla (ainda que o Utrecht tenha revelado muita maleabilidade tática e com diferentes dinâmicas ao longo da 1ª volta), Haller sabe cair para os flancos, procura a bola no espaço e apresenta destreza técnica o suficiente para ficar longe de ser encarado como um mero ‘pinheiro’. E depois tem muito golo, fruto ainda de uma notável serenidade e, por conseguinte, eficácia na transformação de grandes penalidades. Depois de meio ano em Utrecht, então emprestado pelo Auxerre, o clube holandês recrutou-o a título definitivo e a resposta do gigante francês tem sido impressionante: 11 golos e duas assistências em 16 jogos, tendo terminado a 1ª volta como 3º melhor marcador da Eredivisie. Aos 21 anos, é presença regular nos Sub-21 franceses e há já quem olhe para ele como o novo Thierry Henry. Que os epítetos desmesurados não lhe castrem todo o potencial que apresenta.

Valor de mercado*: 3,5M€

VALERI QAZAISHVILI (Vitesse)

5
nrc.nl

Jogador-protótipo do que é este Vitesse (mais uma vez renovado e mais uma vez a dar cartas). O conjunto de Arnhem procura sempre jogar de forma apoiada, num estilo ofensivo e rendilhado, que privilegia a posse e troca de bola e com vários elementos com qualidade técnica superior à média. Um deles é precisamente Qazaishvili. É o georgiano quem assume o papel de #10 nas costas de Solanke, funcionando como garante da chegada com qualidade à baliza adversária. É certo que sempre bem ladeado, ‘Vako’ (como tem na camisola) é um irrequieto médio ofensivo, com excelente drible curto e facilidade de remate. Sempre tão ágil quanto dinâmico, é raro esconder-se do jogo, procurando sempre a bola e preocupando-se em jogar e fazer jogar a sua equipa. Aos 22 anos, este médio georgiano (12 vezes internacional A) que chegou há 4 anos e meio a Arnhem, está a explodir esta época, cotando-se como peça fundamental do conjunto aurinegro, tendo já apontado 6 golos e feito duas assistências, alimentando, desta forma, um dos melhores ataques da prova. Com um pé direito capaz de fazer maravilhas e com capacidade de se aproximar da zona #9, é a cereja em cima de um bolo bem confeccionado chamado Vitesse.

Valor de mercado*: 3M€

ILIASS BEL HASSANI (Heracles)

6
vl.nl

Pulmão, capacidade técnica, qualidade de passe, chegada à área, intensidade e sobriedade. O que o Heracles vai fazendo na Eredivisie não pode ser por acaso e este marroquino nascido em Roterdão (já representou a seleção sub-23 de Marrocos, todavia) comprova isso mesmo. Época notável de Bel Hassani, o #8 na camisola e também no campo. É ele quem tem a missão de ligar os sectores da equipa e o ex-jogador do Sparta de Roterdão não demonstra grande dificuldade em fazê-lo – é, por isso, titular indiscutível, raramente substituído e, na viragem do campeonato, já conta no seu pecúlio com 5 golos e duas assistências. De baixa estatura (1.73m), ainda que jogando com o pé esquerdo, tem facilidade em utilizar o pé direito, destacando-se pelo seu estatuto de quase omnipresença em campo. Aos 23 anos, cota-se como um dos belos médios da Eredivisie, e, ajudando a elevar o Heracles como o tem feito, pode também ele dar o salto. Até porque o seu contrato termina dentro de meses, estando longe de ser um atleta financeiramente incomportável.

Valor de mercado*: 1M€

*Valores retirados do site Transfermarkt, um barómetro interessante em matéria de avaliação de jogadores.

Fonte da imagem principal: telegraaf.nl

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s